Hospital de Campanha de Volta Redonda está apto a receber pacientes

Unidade tem 114 leitos para tratamento de média complexidade

O prefeito de Volta Redonda, Samuca Silva, realizou sua transmissão ao vivo de atualização dos dados sobre a Covid-19, o novo coronavírus, do Hospital de Campanha. A unidade começará a receber pacientes a partir desta quarta-feira, dia 22. Para isso, nesta terça-feira, dia 21, foram realizados todos os procedimentos formais para habilitação da unidade.

Segundo o prefeito Samuca Silva, a unidade com 114 leitos de média complexidade terá custo mensal de cerca de R$ 800 mil. “Estamos preparados para vencer essa guerra contra o coronavírus. Aqui é um hospital de portas fechadas, referenciado pelas unidades de emergência, como os hospitais. Então, um paciente que necessitar de um atendimento intermediário, não ficará nas unidades, eles serão encaminhados para o Hospital de Campanha, que vai ter atendimento exclusivo à Covid-19”, disse o prefeito Samuca.

O secretário de Saúde, Alfredo Peixoto, destacou que o Hospital de Campanha vai permitir que as unidades de emergência não tenham sua rotina alterada por conta do novo coronavírus. “Vamos ter atenção integral à Covid-19. Temos um centro de imagem no estádio e criamos uma sala de estabilização caso seja necessário uma intervenção rápida em um paciente. Essa unidade já foi habilitada pelo Ministério da Saúde, já estamos no CNES (Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde)”, disse o secretário.

Atualização

O prefeito também atualizou os dados sobre a contaminação na cidade. Agora são 225 casos confirmados e 851 suspeitos. São 7 óbitos confirmados e quatro suspeitos. Até a atualização, 382 exames pessoas testaram negativo e 75 já estariam curadas. “Nossa média de idade segue sendo de 42 anos, portanto baixa. O que demonstra que nosso planejamento de isolamento social está dando certo. Estamos conseguindo manter as pessoas do grupo de risco longe do vírus. Essa estratégia está salvando vidas”, disse o prefeito.

Samuca também explicou que o Ministério Público expediu recomendação para que não seja reaberto o comércio na cidade. Entretanto, o prefeito apresentou uma proposta para flexibilização do comércio local, com reabertura gradual dos estabelecimentos. Entre os critérios estão: o número de casos suspeitos não aumentar em 5% por dia; o número de leitos ocupados no CTI não ultrapassar 50%; e o número de leitos ocupados no Hospital de Campanha não ultrapassar 70%.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: