Plataforma de ensino digital tem investimento mensal de sete reais por aluno em Volta Redonda

Prefeitura fez contrato de seis meses com empresa, mas período pode ser prorrogado

A Prefeitura de Volta Redonda, através da Secretaria Municipal de Educação, segue investindo no ensino de qualidade na cidade. E para evitar o atraso no ano letivo por conta das suspensões da aula diante do combate a Covid-19, o Novo Coronavírus, a prefeitura contratou uma plataforma digital de ensino, os alunos e professores têm um ambiente online de ensino. O aluno poderá acessar a plataforma digital para acompanhar as aulas utilizando notebook, smartphone, computador, smartTV, tablet e etc.

O investimento da prefeitura foi, por um contrato de seis meses, de R$ 1,7 milhão, o que corresponde mensalmente a R$ 286 mil. Tendo em vista que a cidade conta com cerca de 40 mil alunos na rede municipal de ensino, o valor da plataforma digital é de R$ 7,15 por mês por aluno.

“Nosso governo tem a característica da transparência, não temos caixa preta. Todos os dados são públicos. O valor da plataforma é muito baixo pela ferramenta que é, pelo investimento direto no aluno. E, como sempre deixamos claro, a educação de qualidade é um dos nossos principais objetivos. E, agora, com modernidade, tecnologia, os alunos poderão ter aulas e não vão perder o ano letivo diante da pandemia”, disse o prefeito de Volta Redonda, Samuca Silva.

Tanto a equipe técnica da SME e do sistema estarão disponíveis para tirar todas as dúvidas e dar auxílio aos alunos e responsáveis. Já mais de 20 mil alunos da rede se conectaram na plataforma. O sistema promove a integração de todos os envolvidos no processo educacional, conectando professores, alunos e instituições, com possibilidades de aula ao vivo e conteúdo da sala de aula disponível para os alunos. Pelo site, os alunos poderão fazer questionamentos aos professores e os responsáveis terão informações sobre planos de aula.

Segundo a secretaria de Educação, a plataforma conta ainda com ferramenta de gestão, que gerencia transporte, alimentação, planejamento de aulas, provas, frequência, censo escolar, avaliação, biblioteca virtual, controle de acesso, entre outros.

Para a professora Rita Andrade, secretária municipal de Educação, a plataforma é completa e contém ferramentas que outros aplicativos, como do Google, não contam. “A plataforma do Google concentra dados pessoais e conteúdos em banco de dados privado, com servidores sem o controle da prefeitura, o que não dá segurança para os alunos. Além de, em servidores gratuitos, cada professor construir seu planejamento de aulas sem o monitoramento da equipe pedagógica, entre outros”, disse, ressaltando que o o Conectedu ainda conta com salas de transmissão de vídeo ao vivo para até mil pessoas.

Investimentos em educação

Desde 2017 a prefeitura de Volta Redonda está investindo em educação de qualidade. Cerca de 50 unidades de ensino já receberam melhorias em suas estruturas físicas nos últimos três anos. Já na primeira semana do ano letivo de 2020, os cerca de 40 mil alunos receberam os kits escolares (com materiais) e os uniformes do ano, um investimento de R$ 6 milhões.

As lâmpadas das unidades escolares, ao todo são 106, também foram trocadas por LED, o que melhora a iluminação e ajuda na economia. As unidades também receberam máquinas de xerox, o que nem toda unidade tinha. Em 2016, onde nem todas as escolas tinham máquinas, o custo era de R$ 25.146,32 com máquinas de xerox, agora com todas as unidades, o valor é de R$ 25.901,73.

Com merenda escolar, através de um novo contrato de prestação de serviços, a SME também conseguiu reduzir o valor gasto. Em 2016, com 33 mil alunos na rede, eram gastos R$ 1.636.058,26. Agora em 2020, com quase 40 mil alunos na rede, o valor do contrato é de aproximadamente R$ 1.650.000,00

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: